A infidelidade dos swingueiros!

Há evidências fortes que a dor de uma traição é uma das piores que existem, essa dor de traição faz com que tudo ao seu redor perca sentido, todos os problemas são mínimos e  nunca mais na sua vida você vai conseguir confiar naquela pessoa que te traiu, se é um namoro ele se desfaz, se vocês estão apenas se conhecendo e ainda não engataram um relacionamento firme, ele simplesmente não começa, agora se é um casamento e acontece a traição daí o problema é um pouco mais complexo, ainda mais se nesse casamento existem filhos.

E mesmo tendo esse risco de sermos traídos ou trair, porque ainda sim nos relacionamos com alguém ao ponto de querermos um compromisso sério? Porque todo o ser humano foi concebido para amar, nós precisamos amar e ser amado e dentro do amor existem infinitas sensações… sexo, tesão, carinho, química e por aí vai a imaginação.

Acredito que a maioria das pessoas no mundo já passaram por um episódio de traição, ou foram traídas ou traíram, então muita gente vai se identificar com esse sofrimento. Existem pessoas que traem as outras por ter uma carência de alguma coisa em si próprio, não tem a ver com o parceiro, porque o relacionamento está bom, a outra pessoa é super legal, existe paixão mas o suposto “traidor” não consegue ser fiel porque ele sempre busca algo que foge do seu controle. E existem traições de momento, que geralmente ocorrem quando o seu relacionamento já não está tão bom assim.

O interessante é quando acontece a traição dentro do swing. Em um relacionamento totalmente aberto a sexo com mais pessoas, ainda sim existe a traição no swing, já conheci casais que se separaram por esse motivo, casais que decidiram continuar juntos mas com algumas mudanças no tipo de festas que faziam.

O fato é que quando evidencia a química do sexo entre duas pessoas, mesmo estando em um relacionamento aberto, isso faz com que você queira ter momentos a sós, privacidade e estando no swing muitas vezes você não quer contar para o parceiro que gostou muito de transar com fulano ou beltrano, com medo de que vá magoar ou que o parceiro não queira mais frequentar, ou até que perca a confiança em você, daí surge a ideia de dar uma fugidinha ou só um encontro com aquela criatura que faz você gozar só em lembrar….

As vezes se caracteriza realmente só uma fugidinha, mas quando perde-se o controle e os encontros foram duas, três ou dez vezes acho melhor parar e refletir sobre a maneira que você vai conduzir o seu casamento e a sua parceria com ele no swing, porque ser swingueiro é ter um relacionamento evoluído onde tudo pode e nada é obrigatório e trair a confiança de seu parceiro não será nada legal.

Quem disser que nunca quis repetir uma transa inesquecível está sendo hipócrita, mas sendo swingueiro não tente esconder do parceiro, porque depois que você trair e o outro descobrir, você pode estar jogando fora sua vida swinguer e não vai ter valido a pena, pode apostar!

Beijosss da Aline!

Podemos confiar nos amigos do swing?

Assim como na vida social de cada um, o meio swing também nos pega de surpresa certas horas com falsas amizades e excesso de superioridade. Muitas pessoas estão fazendo do swing um meio de complementar renda ou em alguns casos até o seu trabalho o famoso “ganha pão”, mas para que você viva do trabalho swing é preciso ter muita experiência, ser empreendedor, estar sempre ligado em novas estratégias e manter-se atualizado nos tipos de aventuras, desejos sexuais e casais que estão na mídia que você vai poder tirar vantagem no seu negócio.

Mas esse post não é para as pessoas que querem viver do swing até porque eu teria que contratar um coach para me especializar totalmente sobre o assunto. Estamos no swing para realizar fantasias sexuais, ter liberdade no relacionamento, ser um personagem em alguns casos e viver a vida apreciando e conhecendo os prazeres da luxuria e não para causar picuinhas, inimizades e constrangimentos para o grupo de amigos que convivemos ou para os casais que formos conhecer, isso deixamos para nossa vida cotidiana e social que é inevitável que em certos momentos que aconteça.

Criar um vinculo de amizade, uma afinidade aqui e ali com algumas pessoas no swing é fundamental para que você consiga transar do jeito que você gosta com mais freqüência, então manter essas amizades é quase que uma obrigação. O problema é quando aquele amigo ou aqueles amigos que você considera começam a tentar tirar vantagem financeira para “complementar renda” organizando festas a preços altos e fugindo do real intuito do swing, que é única e exclusivamente o sexo.

Os convites que chegam a você começam a não ser apenas por querer ter a sua presença na festa ou curtir uma noite ardente de sexo com mais pessoas, os convites começam a ser só para ter mais um pagante e ainda há aqueles organizadores que tiram vantagem promovendo a festa em cima da sua imagem, convidando os outros anunciando que tal casal da mídia vai estar. Isso pessoal não é um julgamento de que está certo ou errado ser feito, é só uma exposição de como acontece e que temos que estar preparados para saber diferenciar o que o casal quer curtir, do que o casal está sendo influenciado a curtir, nós casal Aline e Tom só queremos curtir a festa com muito sexo e prazer fazer amizades dentro do swing sim e quem sabe podermos comemorar aniversários de um jeito que muitos casais gostariam mas não tem essa liberdade que nós do swing temos.

Saber separar as amizades para sexo e festas das amizades que querem só mais um número para ganhar vantagem é uma tarefa difícil, e você só vai saber fazer com algum tempo de experiência no meio. Portanto priorizem sempre o seus desejos e os seus prazeres, aquilo que o casal quer… que faz vocês terem delírios, quando saberem vão ter a certeza de que festa curtir e com quem vão compartilhar esse prazer.

Boas amizades a todos…

Estou encantada por outro homem! E agora?

Existe uma linha tênue entre a paixão e o inesquecível, um dos maiores medos dos integrantes casais do swing é de alguém perder o controle da situação quando envolve sentimento. O ciúmes e a insegurança do homem ou da mulher no relacionamento é o principal agravante para que o mesmo não se jogue nas delicias do relacionamento aberto.

Mas nós casal Aline e Tom, não temos mesmooo esse problema de insegurança, ciúmes e medo, uma boa parte dessa solidez no nosso casamento se dá por muitas experiências que já passamos (boas e ruins) e pela certeza de dependermos um do outro para a vida. Nos amamos, e nos jogamos nas nossas fantasias sexuais com muita confiança um no outro.

Mas confesso que semana passada fiz uma “festa” com um rapaz, transei loucamente com ele e isso me fez pensar no perigo das paixões repentinas, que balançam os casamentos… Ficamos mais de duas horas nos devorando um ao outro! Foi muito gostoso e tenho certeza que não foi só pra mim. Aquele homem, com gosto de Homem com “H” maiúsculo, chegou no quarto onde eu estava já esperando por ele, não falou muita coisa me beijou, me pegou na nuca, me prensou contra parede e daí pra frente eu só me lembro de gemer e sentir prazer

mundonovelas_Em nova maratona na cama, Atena pega Romero na mentira1

Ele não parou em nenhum momento de me comer, durante quase duas horas! Só interrompeu pra trocar a camisinha depois de fazer sexo anal comigo. Gozamos os dois, eu senti o gosto da porra quente dele na minha boca que chego a lembrar aqui agora, escrevendo…. Vestiu a roupa, disse que tinha sido ótimo me conhecer e que tinha valido a pena a espera (foram muitas tentativas de marcar antes de dar certo). Bem calado, sem carinhos, sem troca de histórias só olho no olho, intensidade e muito tesão.

Hoje aqui no silencio do meu escritório eu me lembro dele e de quanto foi GOSTOSO fazer sexo com ele, espero ve-lo em muitas festas ainda por aí e quem sabe dê certo novamente de estarmos numa mesma cama, e numa mesma sintonia pra poder curtir um ao outro como aquela noite da semana passada…. O caso é que isso que eu estou sentindo no momento, não é uma paixão por ele, é um encantamento por ter tido uma experiência única com uma pessoa linda e muito masculina, assim como eu gosto. Esse encantamento se tornou inesquecível, e por muitos anos eu lembrarei daquela noite com ele.

Apaixonar-se por alguém e uma mistura de encantamento, sintonia, química, prazer e tentativas de rever aquela pessoa todos os dias ou toda a semana. Tenho a liberdade de querer ve-lo e sair com ele quando sentir tesão, mas acho prudente e respeitoso com o meu casamento deixar esse fogo baixar para não causar problemas em meu relacionamento com meu marido e com os outros casais swinguers que convivemos. Fica a dica para aqueles que se entregam demais aos sentimentos e acabam sufocando o outro para novos encontros… Prudência será a palavra chave.

Um beijo enorme….