Peguei o policial! Fiz do limão uma limonada.

Final de ano é uma correria pra todo mundo, vem natal e fazemos uma lista com nomes de parentes e amigos para comprar os presentes, é uma loucura nas lojas e comércios em geral, parece que toda a população da nossa cidade quer sair na mesma hora e fazer a melhor negociação na compra das suas lembrancinhas.

E além de tudo isso ainda tem a ceia de natal, onde vai ser, o que vamos levar, decoração da casa, reunião da família, amigo oculto, confraternização no grupo do futebol, no trabalho, no grupo das amigas safadas, enfim! Chego a ficar exausta só de relembrar, quando passa isso tudo a gente se pergunta como conseguiu né?!

Mas em meio a toda essa muvuca de natal, nós aqui ainda temos que pensar em finalizar o ano da melhor forma possível no quesito festa de swing, e foi aí que eu entro com a história de hoje!

Estou eu em meio a burocracia exaustiva do meu trabalho, com a cabeça afundada no planejamento de final de ano, e quando menos espero recebo uma visita inesperada de policiais que estavam fazendo o seu trabalho aqui no bairro. Fui solicitada a dar alguns esclarecimentos básicos e sem nenhum problema fui atende-los, eis que então como boa observadora (safada) eu reparei dois deles, um moreno e um castanho claro.

Na oportunidade que pude ficar sozinha com um deles, o moreno, dei uma cantada enquanto ele preenchia um documento com meus dados pessoais, quando ele pediu um numero para contato, passei meu numero de celular e avisei olhando em seus olhos “esse é o meu numero particular” com um sorrizinho bem ousado eu não tive dele o retorno que gostaria, acabei desistindo de conquista-lo.

Mas o outro policial estava vindo em minha direção, fazia calor ele suava com aquela farda, também pedindo meus dados pessoais eu pensei: “nossa, imagino suando assim encima de mim.” Quando ele chegou próximo,  me chamando a atenção sobre uma câmera de segurança que estava mal posicionada me disse: “É bom a senhora deixar no local correto, porque amanhã eu não estarei aqui para fiscalizar” Respondi na hora olhando bem em seus olhos “Mas poderia vir fiscalizar…” daí sim tive o retorno que eu esperava, ele sorriu pra mim meio sem jeito mas me dando abertura.

No outro dia, com o nome do soldado na minha cabeça, liguei para a base onde ele trabalha e com muito jeitinho consegui o numero de celular dele. Chamei ele no whatsapp e logo de cara percebi que ele tinha gostado do corpinho aqui e que dali poderia rolar o sexo que iria finalizar meu ano no swing, só tinha um porém, ele não é um cara swingueiro, estava achando que eu como mulher casada iria trair meu marido me encontrando com ele, mal sabia ele que o Tom estava torcendo para que nosso encontro desse certo e nós dois tivéssemos muita historinha pra contar no pé do ouvido um do outro.

Marcamos de nos encontrar no motel depois da meia noite de um sábado, sabe aqueles dias que tu está com MUITO tesão, acho que cada mulher percebe o dia que está com um vulcão em erupção dentro do estômago, e foi num dia assim que ele me pegou. Perguntei o nome dele no motel, porque até então eu só sabia o “nome de guerra” e quando nos beijamos, mais tesão ainda eu senti por aquele homem. Enquanto transávamos, eu mandava áudio para o Tom que estava em casa delirando com meus gemidos.

maxresdefault

Gente! Que sexo gostoso que fizemos, de todas as posições que vocês imaginam, quando me recordo daquela madrugada minha boca saliva meu coração bate mais rápido e minha calcinha molha de tesão, e o melhor é quando chego em casa e tenho tudo pra contar e fazer meu marido delirar.

Em meio a essa tensão que é o final de ano, consegui fazer literalmente do limão uma deliciosa limonada!! E que limonada, daquelas de beber bem devagarinho.

Que venha 2018 com muitas histórias de sexo e tesão para nós swingueiros e adeptos. Beijoss pessoal!! E muito obrigada por me seguirem, minhas histórias são para vocês!!

 

Com que roupa eu vou? Looks das festas de swing.

O que vestir? Em tempos de selfies, fotos no espelho, essa dúvida que toda a mulher e os homens mais vaidosos tem todas as vezes que começam a se arrumar para sair a algum lugar importante. As mulheres tendem a se preocupar mais nesse aspecto que os homens, por um motivo bem conhecido, a competitividade com as outras mulheres. De certo modo é válido dizer que sempre existe, mesmo que no subconsciente, essa pequena intenção de surpreender, impressionar as amigas e os demais participantes da festa com seu look ousado, super elegante ou despojado.

No swing não é diferente, falando especificamente de nós mulheres, essa dúvida de que roupa eu vou, que sapato vou usar, vou repetir essa calcinha, será que uso sutiã?! é frequente de quem vai para noite e quer causar!

Uma coisa que eu mais vejo entre os erros e acertos na noite do swing são:

  1. Roupas muito pequenas para o tamanho da pessoa. Se você veste 40 não vai adiantar ou resolver você querer usar uma saia 38, além de não ficar bem no seu corpo não vai ficar nada atraente.
  2. Muita vulgaridade. Existem lojas de roupas que vendem looks direcionados para pessoas que vivem do sexo, esses tipos de vestidos, saias, croppets, calças são extremamente “gritantes”, expõe tudo que você tem de mais lindo no seu corpo unicamente porque quem trabalha com sexo tem que mostrar o produto. O que não é o caso de quem frequenta as festas de swing, lá nós não estamos vendendo nada, não é uma vitrine, estamos na festa para satisfazer nossas fantasias junto com o parceiro. Mas mesmo estando solteira, a mulher não precisa expor suas vantajosas “qualidades” tem outras maneiras mais sensuais de mostrar o que você quer.
  3. Querer usar algo que você não se enquadrou só para satisfazer o parceiro ou a amiga, também não vai fazer você se sentir bem e aflorar a sua sensualidade, uma vez que se você não se gostar, vai ficar mais difícil de você fazer o outro gostar.

Saber qual a lingerie que mais cai bem no seu corpo também é fundamental para atrair mais espectadores naquela hora que você fica semi nua no pole dance ou na pista da casa de swing, existem milhões de opções de calcinhas, de vários modelos e com certeza um deles vai lhe chamar a atenção e fazer com que outros te olhem. Eu particularmente prefiro as bem pequenas, mas não aquelas que só tem um fio atrás, acho que deixam a minha bunda bem redondinha e pedindo uns carinhos.

sexy_woman_black_lingerie-1680x1050

 

Vestidos e saias facilitam o andamento da noite, bodys são sensuais porque no meio da madrugada você pode andar só com ele e esquecer da saia, decotes para deixar o seio levemente a mostra são instigantes e chamam a atenção, “tomara que caia” chama a mão do outro para o seu peito e são ótimos aliados na hora do amasso, sem preocupação eles simplesmente caem. Aquela calça jeans que você adora é super bem vinda, uma meia calça arrastão que está super em alta faz o seu look ficar ousado e muito sexy. Uma coisa é certa, quando saímos para uma festa de swing podemos abusar mesmo do look para atrair o alvo, o decote bem profundo a saia bem curta, o batom forte o perfume, tudo vai ajudar na conquista do que você quer e se a festa for temática como: máscaras, bruxas, méxico, october, carnaval dentre muitas, tente ir com um look que tenha a ver com o tema, fica mais divertido e faz com que você já chegue no clima.

O salto alto é indispensável e fundamental, toda mulher que quer impressionar tem que usar aquele salto! Seja ele fino, grosso ou plataforma aquele declínio do pé da mulher faz toda a diferença no andar, no caminhar, no chegar…

O legal é que não precisamos apelar para a vulgaridade nas casas de swing, usar roupas que são usadas pelas pessoas que trabalham com sexo, vai fazer com que passe uma imagem errada do swing. Abuse da criatividade, use acessórios, invista na lingerie mas acima de tudo se sinta bem, porque no final das contas a festa de swing é quase uma balada normal daquelas que seus filhos frequentam, só que podemos chegar com uma roupa e a qualquer momento da festa ficar só com metade dela.

collage3

 

Segurança digital em tempos de exibicionismo.

Boa tarde leitores da Aline, este é meu primeiro artigo e escolhi este tema por considera-lo relevante mesmo diante de tantas opções mais divertidas e mentalmente saudáveis.
Porém, para que possamos curtir tudo o que este mundão nos proporciona, em segurança e sem sobressaltos, vamos primeiro cuidar de nossa privacidade.
Temos a nossa disposição tecnologias sem fim de smartphones, notebooks, tablets e outros gadgets que nos conectam a um mundo virtualmente infinito. Por preços acessíveis temos ao nosso alcance, dispositivos poderosíssimos, que em questão de segundos nos põe em contato com diversas ferramentas de inter relacionamento, digital, virtual e real. Logo, essa interconexão nada mais é que uma realidade.
Em sendo uma realidade ao alcance de todos, é desnecessário afirmar que não temos o menor controle sobre quem são o que fazem, o que querem e nem muito menos como são nossos interlocutores, esteja ele a 5 cm ou 5000 Km de distância. Estes mesmos dispositivos permitem que do outro lado da tela quem o usa mantenha-se em anonimato, independente de quem ele diga que seja.

Como tudo o que queremos é expandir nosso círculo de relacionamentos, via de regra, através de contatos que se iniciam no mundo virtual, uma série de cuidados se mostra importante, até mesmo pra prevenir delírios paranóicos, que geralmente sobrevém após incidentes traumáticos.
Partimos do pressuposto que somos seres de boa-fé, ok? Não temos más-intenções ou desvios de personalidade graves que comprometam nossa vida em sociedade. Logo tudo deveria fluir naturalmente…..Só que não!
Nós seres humanos por natureza somos incompletos e diferentes. As vezes somos muito parecidos, no entanto sempre restará uma diferença, que no fundo, pode ser muito importante.
Quando tratamos de sexo e atividades afins, mexemos com pontos profundos de nossa mente e de nossa alma. E alguns recantos estão escondidos, e pouco explorados. E quando aquela avalanche de sensações vem pra fora, acabamos revelando partes de nossa personalidade que nem mesmo nós conhecemos.

robar-banco-02

E o que isso tem a ver com a segurança?
Tem a ver quando nós olhamos para os outros como se eles fossem pensar e agir como nós. Isso é um erro básico em termos de segurança.
Devemos sempre pensar naquilo que queremos proteger, que não queremos expor e que caso viessem a público poderiam nos causar danos, em especial os irreparáveis.
De posse destas informações (lembre-se: até mesmo o óbvio precisa ser dito), precisamos saber quais portas abrir, quais fechar, a quem permitir ter acesso e quando.
Hoje, redes sociais são empresas de tecnologia que adquirem outras tecnologias. E a estas empresas interessa um maior grau de interação. Aconteceu recentemente com o Facebook e o Whatsapp. Quando a primeira comprou a segunda, os dados de ambas passaram a ser integrados, ou seja, a partir do numero de telefone usado pra cadastrar o Whatsapp, o Facebook começou a sugerir amizades….Oras, tudo aquilo que o usuário de redes sociais swinguers era permanecer anônimo em redes como o Facebook
Não vou aqui me ater a sugerir medidas de controle de acesso, até porque as redes sociais fornecem tutorias de como fazer isso porém, é fundamental reforçar que você tem a sua disposição as ferramentas pra estabelecer o sigilo necessário a manutenção da sua privacidade.
NÃO DELEGUE ISSO A NINGUÉM QUE NÃO SEJA DA SUA ABSOLUTA CONFIANÇA E NÃO ADIE UM SEGUNDO A ADOÇÃO DAS MEDIDAS ADEQUADAS PRA VOCÊ.
Além disso, quando editar as fotos, procure eliminar além do rosto (de todos!), os traços que podem levar ao reconhecimento destas mesmas pessoas e do ambiente onde vocês estão. Tatuagens, sinais, móveis, carros, etc…podem fazer com que uma imagem disponível pra o deleite de admiradores sirva como instrumento de difamação de pessoas que não entendem dos seus desejos íntimos.
Por fim, aquilo que é sigilo pra você, pode ser frescura pra outro; e vice-versa. Jamais desdenhe do valor do sigilo de alguém e nem permita que façam isso com o seu. E não subestime o impacto que a divulgação da sua intimidade pode ter sobre o restante da sua vida.

Ghost Writer !